Fortune Gems

Soja Brasil

Soja: plantio chega a 17% da área no Rio Grande do Sul e supera ritmo de 2019

Segundo a Emater-RS, a presença de precipitações em algumas regiões do estado favoreceu a retomada do plantio, que avançou 10 pontos percentuais na semana

Mesmo com poucas chuvas, o Rio Grande do Sul conseguiu avançar bastante no plantio da soja nesta última semana, mostra o levantamento realizado pela Emater-RS. Agora o estado já semeou 17% da área de 6 milhões de hectares, ou seja 10 pontos percentuais a mais que os 7% da semana passada.

Vale destacar que agora o ritmo de plantio está mais rápido que no mesmo período de 2019, que era de 16%, mas ainda um pouco atrás da média histórica, que é de 18%.

“A presença de precipitações em algumas regiões do Estado favoreceu a retomada do plantio, que avançou 10 pontos percentuais na semana”, diz a Emater.

Veja a análise por região:

Bagé

Segundo a Emater, as precipitações da semana repuseram os níveis adequados de umidade do solo e a semeadura se intensificou, chegando a 30% das áreas. “Ao longo da semana, o plantio deve se estender às áreas de várzeas onde não foi possível realizar a operação devido ao excesso de umidade. As baixas temperaturas noturnas podem atrasar o processo de emergência.”

Segundo a entidade, em Dom Pedrito, a semeadura alcançou 45% dos 120 mil hectares projetados. Produtores aguardam novas precipitações para escalonar a produção. Na Campanha, em Hulha Negra, o controle das plantas daninhas antes do início do plantio desafia os produtores, há relatos de dificuldades no manejo de buva e azevém. Algumas áreas ainda com presença destas plantas daninhas após a aplicação dos herbicidas devem ser preparadas no sistema de cultivo mínimo.

Santa Maria

A semana foi de grande avanço na área plantada, chegando a mais de 20% do total. Em Cachoeira do Sul, onde estão previstos 105.800 hectares com a cultura, já foram plantados 66 mil hectares.

Ijuí

Segundo a entidade, houve retomada da operação de semeadura da soja a partir da quarta-feira (28 de outubro) conforme o volume de chuvas ocorrido em cada localidade, alcançando cerca de 19% dos 960 mil hectares a serem implantados. Nos municípios ou localidades onde as precipitações foram inferiores a 25 milímetros os produtores optaram por não realizar a semeadura.

“O ritmo de plantio foi mais lento; produtores optam em retardar a semeadura devido à redução muito rápida da umidade no solo e as previsões de índices muito baixos de precipitações para os próximos dias. A umidade do solo não é suficiente para garantir a germinação de todas as sementes depositadas, necessitando de novas chuvas para regularizar a emergência. Desta forma, a área semeada até o momento é menor que o planejado.”

As lavouras implantadas anteriormente foram beneficiadas pelas precipitações, que possibilitaram a emergência das sementes que estavam no solo, proporcionando um bom estabelecimento inicial das lavouras, com estande de plantas adequado, embora com dois períodos distintos de emergência.

Passo Fundo

A presença de chuvas na região do entorno de Não-Me-Toque permitiu o avanço do plantio da soja, que já alcança 162 mil hectares, dos 648 mil hectares previstos para a safra.

“O retorno da umidade do solo auxiliou na germinação e no desenvolvimento vegetativo das lavouras.”

Soledade

A ocorrência de chuvas no dia 26 de outubro, na média entre 25 e 30 milímetros, elevou o teor de umidade do solo e viabilizou a retomada da semeadura da soja, diz a Emater. Alguns agricultores, para ganhar tempo, semearam dias antes da chuva; em ambas as situações as lavouras têm boa germinação e emergência.

“As primeiras lavouras semeadas não tiveram muitos impactos com o período seco e retomam o crescimento; em muitas dessas áreas é realizado o manejo de plantas invasoras com aplicações de herbicidas pós-emergente. Estima-se um percentual de área semeada até o momento de 20%, do total previsto”, diz a entidade.

Caxias do Sul

A semeadura foi retomada após as chuvas do início da semana, afirma a Emater. Caso retorne à condição de tempo seco, a operação deverá paralisar novamente porque a umidade do solo está muito baixa na maioria dos municípios com cultivo da oleaginosa na região, completa.

“Algumas áreas semeadas em outubro serão replantadas devido as falhas de germinação. A falta de chuvas tem provocado diminuição da umidade do solo e atrasado a implantação da cultura. N

Erechim

Por lá, 11.750 hectares já foram semeados da intenção de plantio para safra de 232 mil hectares.

Frederico Westphalen

Segundo a Emater, foi possível implantar somente 10% dos 419.680 hectares previstos.

Pelotas

Por lá, 8% da área de soja prevista de 421 mil para safra já está plantada. Em Jaguarão, estão semeados 14% da área; em Arroio Grande 36%; e em Piratini, 50% da área de cultivo. A região está conseguindo antecipar ao máximo a semeadura devido às condições novamente favoráveis de umidade no solo, associados na sequência com dias ensolarados e temperatura adequada.

“Essas condições igualmente têm favorecido a germinação e o início do desenvolvimento vegetativo das plantas”, diz a Emater.

Santa Rosa

Com a chuva no dia 26 de outubro, a umidade do solo voltou e possibilitou a retomada do preparo do solo, com dessecação e manejo de plantas daninhas, bem como do plantio da nova safra de soja, que atinge 6% da área prevista.

“A expectativa inicial de produtividade média da região está em 3.233 quilos por hectare. Em decorrência da expectativa de chuvas irregulares, os agricultores deverão escalonar os períodos de semeadura em três a quatro etapas, no intuito de minimizar os efeitos de uma possível estiagem entre dezembro e janeiro.”

Leia mais notícias sobre soja

Fortune Gems Mapa do site